E depois de dar a chupeta à fada?

"Sabes, meu amor, quando a Mamã era pequenina, também tinha saudades da chuchinha..."



No fim de semana que fomos à neve, o Miguel e o Rodrigo dormiram comigo (bem, eles dormiram, já eu... digamos que já dormi melhor...).

Durante a noite, o Miguel, a sonhar com a chuchinha, disse que estava com saudades dela. Passado um bocado, ouvi o som que ele costumava fazer quando tinha chupeta: deve ter encontrado a do irmão, perdida pela cama, e nem hesitou. Confesso que a minha reação imediata foi tirar-lha. Mas não tive coragem! Esperei que ele a deixasse cair, e depois afastei-a dele. Para ele, há-de ter sido um sonho fantástico. Uma forma de matar as saudades imensas que ele tem!

Ele decidiu deixar de usar chupeta quando fez 4 anos (podem ver o post aqui). Mas sei que ainda lhe faz falta. Começou a pôr mais coisas na boca. Ainda fala muito nela. E, às vezes, ainda pergunta por ela.

Na verdade, deixar a chupeta, principalmente para as crianças que gostam tanto dela, como era (é!) o caso do Miguel, é a primeira grande perda que eles têm. Eu não me lembro, mas acredito que não deva ser fácil, de repente (por muito bem preparada que seja a questão) ter que procurar outras formas de conforto. E sem perceber muito bem porquê. Apenas por terem a ideia (que nós cultivamos) que os meninos crescidos não usam chupeta.

E dar uma chupeta a um Filho (e eu dei aos meus!) é um dos primeiros pecados que cometemos (*). Porque é, principalmente, para nosso conforto, que rapidamente se transforma num conforto para eles!

Por tudo isto, acho que esta perda deve ser bem preparada e que o sofrimento da criança não deve ser diminuído, nem desvalorizado. Devemos procurar estabelecer pontes, relacionarmo-nos com o seu desgosto. Mostrar que estamos a ouvir e a compreender a sua dor! Isso não significa voltar a dar a chupeta. Apenas demonstrar que estamos atentos e que sabemos que é difícil. E quem diz chupeta, diz outra coisa qualquer, outro sofrimento qualquer!



Foi numa conversa em que o Miguel me dizia que tinha saudades da chupeta, que me lembrei do meu ursinho de criança. Disse-lhe que percebia que ele tivesse saudades da chupeta e que, quando eu era pequenina tinha sido aquele ursinho que me tinha ajudado a não ter tantas saudades da minha chuchinha. E melhorou! Tem o ursinho na cama e pega nele quando se lembra da chupeta. Até já disse que, quando o Maninho for crescido e der a chuchinha dele à fada, lhe vai dar o ursinho, para ele não ter saudades 💗.



(*) Claro que tenho que fazer aqui a ressalva que não se deve dar uma chupeta a um bebé amamentado, sob risco de comprometer a amamentação, principalmente antes de esta estar estabelecida. E só a Mãe e o Bebé é que vão saber quando é que está estabelecida. Eu dei aos meus, porque achei que não iria interferir na amamentação. E não interferiu. Mas não quer dizer que seja assim para todos os bebés!

Comentários

Posts mais lidos