Testemunho #3 | Isabel

Isabel, amamenta há quase 18 meses


O meu nome é Isabel Santos, fui mãe aos 31 de uma linda Sofia de quase 18 meses.

Tive um parto de sonho! (Mesmo!!) Tive a oportunidade de ser eu própria a puxar a minha filha e ajudá-la, pelas minhas mãos a nascer, sob olhar atento do pai e dos enfermeiros da MAC.

A Sofia mamou tinha 8 minutos fora da minha barriga. Eu estava tranquila. Tinha lido, na véspera dela nascer, o livro da Constança Cordeiro Ferreira "Os bebés também querem dormir" e estava muito confiante, muito tranquila sobre a amamentação. Sabia mais ou menos que não teria leite, que ninguém a espremer o mamilo ajuda à produção, que a produção de leite exige tranquilidade, amor, calma.

E correu tudo muito muito bem, até que, cerca de 5 dias depois dela nascer, os mamilos gretaram de tal forma que sangravam. Mesmo com o purelan, o leite materno, as massagens, as compressas... Tinha dores de morte. Chorava cada vez que ela mamava.

Tinha o apoio permanente dos meus pais e do marido em tudo o que quisesse fazer, mesmo que isso implicasse "dar antes biberão, se não aguentar as dores". Mas eu quis ser capaz.

Pedi ajuda no Centro de Saúde. Pouco sensível, a enfermeira respondeu-me "então mãe? Tem alguma coisa que saber? é só barriga com barriga, mais nada!".

Contactei a Linha SOS Amamentação, enviei uma mensagem pelo facebook à Constança Cordeiro Ferreira, que não conhecia pessoalmente a pedir ajuda... mas a ajuda tardava um pouco e eu tinha muitas dores. Valia-me uma amiga, que me sugeriu os discos de hidrogel da medela (ABENÇOADOS) e me ouviu (muito!).

Até que abri o Youtube e pensei "no Brasil fazem tutoriais para tudo... deve haver algum que eu possa ver para me ajudar".

E assim foi...! Vi um vídeo que ensinava a corrigir a pega. Vi vezes e vezes e vezes e vezes. E corrigi!
E o "Calma" da medela foi o meu apoio quando tinha ainda a mama a cicatrizar e necessitava de um pequeno descanso, para que a pequenita Sofia pudesse beber o seu leite materno.
E assim foi!

E assim é há cerca de 18 meses: livre demanda com uma excelente introdução de sólidos, uma criança feliz, autoconfiante, uma criança saudável que ainda nunca adoeceu. Mesmo em dias em que apenas estão 4 ou 5 dos 16 meninos da sala de 1 ano... mesmo em dias em que há "viroses"... nada de nada!

Apenas as primeiras vacinas não levou a mamar, desde aí que tem sido sempre. Mama para dormir, quando acorda, quando me vê despir, quando almoça, lancha e janta (é um cafezinho, diz o avô). E não gosta de chucha até hoje.

Come de tudo e é uma criança feliz, sorridente e de bem com a vida. Saudável.

Toda a família age naturalmente perante a amamentação prolongada, mas eu própria não dou espaço para grandes palpites.
De vez em quando alguém pergunta "ainda tens leite?" eu respondo sempre "não, agora ela já mama vinho verde".

E sorrio, muito! Em especial para ela, que, quando chego ao final do dia, aponta para a mama e diz "xim". E o mundo pára.
Assim será enquanto quisermos e enquanto nos fizer sentido enquanto família.

Quem achar melhor de outra forma, que faça de outra forma: nós somos felizes assim.


 #AmamentarEnquantoOsDoisQuiserem

Comentários

Posts mais lidos