Testemunho #12 | Bea

Bea, amamentou 24 meses cada Filho, 4 anos seguidos

Tudo começou numa bonita sexta-feira. A mais bonita sexta-feira da minha vida. Nasci mãe e nasceu de mim o melhor de mim - o meu Pedro. Foi o momento que mais me senti humana, mesmo estando deitada no bloco operatório.


Naquele momento mágico, talvez ainda atordoada com as anestesias que me deram, não sabia se queria ou não amamentar. A minha salvação foi a querida enfermeira que me acompanhou no pós parto. Aconselhou-me a fazê-lo e ser-lhe-ei eternamente grata.

Naquela mágica sexta feira começou o desafio de amamentar. E não poderia deixar de o referir porque para chegarmos aos doze meses, temos de começar por algum lado. Eu comecei nesse dia, cheia de dúvidas, cheia de preocupações e sobretudo cheia de opiniões contrárias às minhas.

Eu soube, das piores maneiras, o que é não confiarem no meu instinto. Não confiarem no meu leite e sobretudo porem em causa o meu papel de mãe. Valeu-me a teimosia e determinação. Valeu-me também umas respostas tortas e uns olhos arregalados. Mas tudo valeu a pena. Hoje, não amamento nenhum dos meus filhos, com quase três e cinco anos. Mas sinto muita saudade e nostalgia a recordar esses momentos de mãe-filho, sobretudo a partir do ano de idade.

Se naqueles primeiros tempos só há complicações, muitas das vezes dores, mamas inchadas e jatos de leite por toda a roupa, aos doze meses tudo é simples e até desavergonhado! 😊 Não digo isto com conotação negativa mas sim com a sensação que há uma liberdade que dantes não tinha. Dava-lhes de mamar até quererem. Dava-lhes de mamar quando queriam mesmo estando num sítio público.

Sentia que eles eram só meus. E naquele momento eram só meus. Pratiquei livre demanda até aos dois anos de cada um. Estive a amamentar quatro anos seguidos. Havia dias que me apetecia dormir mais descansada, havia outros que me apetecia jantar em paz e ainda outros que gostava de passar a noite fora com o meu marido sem peso na consciência. Mas não me arrependi um segundo de os amamentar.

E tu, que tens um bebé contigo, aproveita todos os momentos com ele. Todas essas fases de pico de crescimento vão passar, todas essas dúvidas vão ser resolvidas. E não te deixes influenciar pelos outros. Tu é que sabes o que é melhor para ti e para o teu bebé. Tu é que sabes o que vocês precisam. Tu é que sabes quando desmamar. Eu estarei sempre aqui, para te ouvir, para pegar no teu bebé, para te apoiar. Força!


 #AmamentarEnquantoOsDoisQuiserem

Comentários

Playgroup de Gaia | Dia dos Avós

Posts mais lidos