Bodas de Açúcar: a desculpa ideal para ir à Régua comprar rebuçados ;)

6 anos de Casamento (e 15 de Namoro) merecem um passeio muito especial 💖

Eu sou apaixonada por paisagens com vista para o rio!
Aliás, quando andávamos à procura da quinta para festejar o nosso casamento, um dos requisitos era, precisamente, ter vista para o rio 💝...

E, como já tinha dito por aqui, nós adoramos viajar, passear, mudar de ares!

Por isso mesmo, gostamos de comemorar o nosso aniversário de casamento (e de namoro, uns dias depois), com uma viagem, para mais longe, ou mais perto (dependendo do que o orçamento permitir...). E tem sido assim nos últimos 6 anos (exceto nos 2 anos que tínhamos um recém-nascido nos braços, nesta altura do ano 😉).

Este ano, o destino escolhido foi a Régua, com passagem por Amarante. 
Antes que surja a questão, sim, levámos os Filhotes para a comemoração do nosso aniversário de casamento. Porquê? Porque estamos a celebrar o nosso casamento, e tudo o que fomos aprendendo, crescendo, conquistando durante este nosso percurso. E eles são, sem dúvida, parte de tudo isto, parte de quem somos, neste momento! Além disso, adoramos mostrar o Mundo aos nossos miúdos, por isso, para nós, faz sentido que estes passeios sejam em Família 💝!

Como fomos aprendendo, nas nossas viagens com crianças, é importante ter um fio orientador, com planos para os nossos dias, mas tendo sempre em conta que os planos podem não ser rigorosamente seguidos e que também é importante deixá-los descansar, correr, brincar. Os passeios são pensados tendo em conta o que eles gostam de fazer, de preferência perto de coisas que nós gostamos de ver. Assim eles divertem-se, e nós também!

Na preparação deste fim de semana, descobri muitas coisas interessantes para fazer por lá (mais do que teríamos tempo para fazer!) e algumas que não estão disponíveis nesta altura do ano, como a viagem de barco da Régua para o Pocinho (as partidas da Régua só estarão disponível a partir do fim do mês de Março, sendo que nesta altura do ano só há a partir do Pinhão) ou a viagem no comboio histórico (que só se faz entre Junho e Outubro).

Mas há muitas outras coisas para fazer!
A magia de passear com crianças é que até atravessar uma ponte, ou correr em frente a uma igreja, pode ser motivo para deslumbramento e aventura 😍.

Ponte de São Gonçalo, em Amarante

Brincadeiras em frente à Igreja de São Gonçalo, ainda em Amarante (não, o Miguel não está a tentar esganar o irmão: é apenas um abraço muito apertado...)

Ponte Pedonal da Régua, de trotinete tem ainda mais encanto


Claro que, se houver um parque infantil, a alegria é ainda maior!

Parque Infantil Largo da Devesa, em São João da Pesqueira (onde fomos com o objetivo de chegar ao Miradouro de São Salvador do Mundo, mas eles encontraram o parque primeiro 😉)  

Parque Infantil Carlos Tomé, no Pinhão (a forma ideal de terminar um passeio de barco 😍)

Parque Infantil do Auditório Municipal, na Régua (para fechar o fim de semana em alta 💝)

O hotel onde ficámos tinha piscina, interior, por isso, passou imediatamente a ser o "hotel preferido de sempre" do Miguel! Só não aproveitámos mais, porque entretanto eu fiquei doentita...

Para o Rodrigo, a piscina não foi amor a primeira vista

Mas o Miguel estava em delírio absoluto

Saltou, saltou e voltou a saltar!

Passado o choque inicial, o Rodrigo também começou a achar graça!

Principalmente, chapinhar para cima da Mãe 😁

Apesar de não haver passeios de barco a partir da Régua, havia duas opções, com saída do Pinhão (felizmente, porque o Miguel estava entusiasmado com a ideia de andar de barco, outra vez). Tenho a certeza que o passeio de 2 horas é muito bonito, mas achámos que, com os dois a querer saltitar e explorar, 1 hora era suficiente. E acertámos! Foi um passeio lindo, mas com 2 crianças, de 2 e 4 anos, que não gostam de parar quietas, 1 hora foi o ideal! Nós fizemos com a Companhia Turística do Douro, que era a única que tinha uma saída às 16H30, que foi à hora que conseguimos chegar ao Pinhão.

O nosso barco rabelo

Paisagens deslumbrantes, e uma paz imensa (quebrada, claro está, pelas vozes estridentes dos meus pequenos, que não sabem o que é falar baixo...)

Aproveitando que estávamos no Pinhão, fomos até à estação de comboios. O Miguel queria ver o comboio a passar, mas quando lá chegámos já tinha passado o último. De qualquer modo, a estação é muito bonita!

Estação de Comboios do Pinhão

"É agora que vai passar o comboio? E agora? Já vem aí?"

Outra das visitas, na Régua, foi ao Museu do Douro. Bem, quer dizer, ao jardim e às galinhas e galos do Museu do Douro, porque eles estavam com uma energia imensa (ao contrário de mim, que estava já com amigdalite) e achámos que não era boa ideia pô-los no mesmo espaço que peças valiosas e frágeis 😉. Mas eles amaram a proximidade com os animais, e correr pela relva. E eu aproveitei para comprar o íman para a nossa coleção (em cada viagem/passeio, compramos um íman para o frigorífico; começámos esta tradição quando ainda namorávamos e nem tínhamos frigorífico e acho que conseguimos ter um íman de cada viagem que fizemos!).



Onde haja um espaço para eles correrem, eles ficam felizes 💝


Apesar de ter regressado já doentinha, viemos de coração cheio e sorriso nos lábios! Com vontade de continuar a passear com os miúdos, a explorar, a "turistar", pelo Mundo, sem nunca esquecer de lhes mostrar o nosso País, que tem coisas tão lindas para conhecer! Ainda não sei qual será o próximo destino, mas tenho que começar a planear 💖.

Alguém tem sugestões?


ONDE COMER



Desta vez não tínhamos grandes referências, pelo que recorremos ao TripAdvisor 😉. E ficámos muito bem servidos!


→ Tasquinha da Ponte + Confeitaria da Ponte

Com uma decoração pitoresca, mesas com bancos corridos e toalhas de papel (as preferidas do Miguel), tinha tudo para ser uma excelente refeição. Mal me viram com o Rodrigo ofereceram logo a cadeira de bebé (muito útil, porque um banco corrido não é o ideal para sentar um irrequieto de 2 anos!).

A ementa com pratos tradicionais, tinha várias opções interessantes, e nós escolhemos uma deliciosa chanfana de javali.

Fiquei fã!

Para sobremesa, foi só atravessar a rua, e fomos à confeitaria em frente que, além de doces conventuais de comer e chorar por mais, tinha uma vista deslumbrante 😍.


Morada:
Rua 31 de Janeiro, nº 193 e 186 (respetivamente)
Amarante, Portugal


→ O Maleiro Restaurante Regional

Continuando no roteiro de restaurantes com toalhas de papel, que ajuda sempre na hora de entreter os miúdos, fomos muito bem atendidos e a comida, caseira, estava saborosa. A única coisa que não correu tão bem foi, na hora de pagar a conta, simplesmente apresentaram-nos o valor, sem sabermos bem como lá chegaram (não que tenha sido exagerado, nada disso, mas já estamos habituados a poder consultar a conta detalhada).




Morada:
Rua dos Camilos, nº 108 
Peso Da Régua, Portugal


→ Pizzaria Limonete

Se há coisa que deixa os meus Filhos satisfeitos é comer uma pizza! Adoram!
Neste restaurante foram todos muito simpáticos, as pizzas eram deliciosas (e continuámos com as toalhas de papel 😉) e o espaço era muito giro. Vê-se claramente que o dono tem Filhos pequenos, não só pela quantidade de cadeiras altas que tem, mas principalmente pelos desenhos e fotografias dos miúdos a decorar uma das paredes.



Morada:
R. da Ferreirinha
Peso Da Régua, Portugal

Comentários

Posts mais lidos