Paris, Com Crianças | Sacre Coeur

Ir de férias com crianças implica saber quando é que eles precisam de uma pausa da azáfama de ser turista, para se sentarem a ver as "Rodas do Autocarro", mesmo que seja num écran pequenino de um i-phone. Abraçadinhos foi só o bónus ;)


Mas o nosso quarto dia ainda não tinha começado (como eu gosto de recordar as férias!!!).
Tínhamos planeado ir a Sacre Coeur, para eles verem a azáfama daquela zona da cidade. Também lá, encontrámos um parque infantil, mas este não foi planeado. E, ao contrário da maioria dos parques que por lá vimos, este estava ao Sol, o que ditou uma passagem muito breve, pois o calor era muito intenso!


Quando chegámos à zona dos artistas fomos imediatamente abordados por um senhor que queria fazer um retrato dos meninos. Não pude evitar um sorriso quando ele disse que eles "só" tinham que pousar durante 10 minutos... Os meus Filhos não conseguiriam ficar quietos durante aquele tempo todo! Nem acredito que alguma criança de 1 e 3 anos consiga! A menos que o senhor tivesse episódios da Patrulha Pata... ;)

Mas os famosos crepes, não poderiam faltar! Felizmente, eles não gostaram :P


Uma das coisas que o Miguel mais gostou, em Paris, foi o moinho do Thomas. Sim, aquele moinho, em Moulin Rouge, que até tinha um comboio parado em frente. Não era o Thomas, porque não era azul, mas era o amigo Stanley, que é branco. O Thomas estava de férias naquele dia :D

Outra ideia muito engraçada, em frente à Câmara Municipal era a existência de giz, no chão, para os miúdos brincarem. Desta vez foi o Rodrigo que se divertiu imenso, porque o Mano estava a dormir a sesta. Havia imensos desenhos por todo o chão, que depois facilmente se apagam para dar espaço para mais desenhos.


Para mim, levar os Filhos em viagem é precisamente isto: proporcionar-lhes experiências novas, mostrar-lhes sítios diferentes, deixá-los explorar o destino da viagem de acordo com o que lhes desperta a curiosidade. Sem ter uma agenda demasiado rigorosa, nem um objetivo estipulado. Ir indo de acordo com o que podemos, deixá-los adormecer quando precisam, sem preocupações extremas com o que comem, nem a que horas comem. Porque eles próprios também percebem a diferença entre estar de férias e estar em casa. E as exceções das férias não se prolongam em casa :)





Comentários

Posts mais lidos