Paris, Com Crianças | Jardin Du Luxembourg

Como estes 3 anos e meio de parentalidade nos ensinaram, nada do que fazemos agora, com crianças, é comparável ao que fazíamos antes de ter Filhos ;)

Por isso, tentei planear os dias em Pariscom grande flexibilidade e tentando pensar nas coisas que eles gostariam de conhecer e fazer, em vez de pensar nos roteiros mais tradicionais. 

Um dos primeiros resultados da minha pesquisa foi o Jardim do Luxemburgo. Não só pelo jardim em si (giríssimo!), como pela possibilidade de fazermos um picnic (a nossa opção para o almoço), mas, principalmente, pelo parque infantil.


Por isso, almoçámos nos Jardins, com vista para o lago e, depois, passámos a tarde no parque, para delírio do Miguel e do Rodrigo. O parque era, realmente, muito bom! Com imensas opções, para os mais aventureiros e para os mais cautelosos, quase sempre à sombra, casa de banho, bebedouros, bancos de jardim para os Pais... Claro que não pode ser tudo bom, por isso, este paraíso dos parques infantis é pago ("there are no free lunches!").



Para mal dos meus pecados, o Miguel gosta de experimentar tudo e quanto mais alto e instável for, mais atraído ele se sente. E é cada vez mais difícil usar a técnica da distração para reorientar a sua atenção para outra coisa qualquer (que ainda funciona relativamente bem com o Rodrigo, claro).
Um dos "baloiços" preferidos do Miguel foi uma estrutura (para maiores de 7 anos...), com pontes de cordas e túneis e escadas, que terminavam em escorregas de diferentes formas e tamanhos.


É interessante observar como os miúdos se entendem, apesar de não falarem a mesma língua :)
Numa das aventuras do Miguel pelo "escorrega dos crescidos", ele tropeçou numa das pontes de corda e veio logo uma menina "crescida" em seu auxílio! Mas nem assim ele perdeu a vontade de andar naquilo. Ia dizendo "Eu consigo! Eu sou um atleta! Eu consigo tudo!", para espantar o receio e para ajudar a convencer-se de que aquilo até era fácil. Mas o que é um facto é que andou por lá, como um crescido e muito divertido.

Enquanto isso, o Rodrigo andava nos escorregas mais próprios para as idades deles, sempre bem disposto, como é, aliás, costume. Por enquanto, ainda conseguimos mostrar-lhe outras coisas giras, para o distrair das coisas mais perigosas ;)


À noite ainda houve energia para irmos até Notre Dame, apesar de nem todos terem aguentado acordados... 



Comentários

Posts mais lidos