A lição dos Irmãos Brownlee

Os atletas de alta competição são formatados para ganhar.
É assim em todos os desportos. E é também assim que muitos justificam a falta de fair play, que vemos permanentemente.

Analisando friamente, acaba por ser um espelho do resto da Sociedade (e não apenas a realidade portuguesa, naturalmente). Onde é cada vez mais cada um por si. Onde a empatia e a solidariedade são, muitas vezes, apenas conceitos bonitos. Onde o bullying faz, cada vez mais, parte dos nossos dias, tanto nas escolas, como nos empregos, na vida.

O que assistimos no fim de semana passado, com um atleta de triatlo a ajudar outro, seu Irmão, sem hesitar, foi comovente. Faz-nos ter esperança que, um dia, as pessoas voltem a saber o significado de ajudar o próximo, de forma genuína. Faz-nos acreditar que, um dia, as pessoas vão conseguir olhar para os outros e perceber a sua dor, vão saber colocar-se, verdadeiramente, no lugar do outro. E isso, hoje, que se assinala o Dia Internacional da Paz, é fundamental para acreditar num Mundo melhor, para os nossos Filhos

O facto de eles serem irmãos, faz-me, naturalmente, desejar que um dia, os meus Filhos possam ter uma relação assim. Possam ajudar-se sempre, sem pestanejar, sem refletir, mesmo que lhes custe a vitória do Campeonato do Mundo de Triatlo!
No dia que isso acontecer, saberei que fiz bem o meu papel. Que os orientei bem e que eles souberam fazer as suas opções!


Comentários

Posts mais lidos